Câmara aprova a concessão de Título de Cidadão Honorário a José Antônio Gorgen (Zezão)

O título de cidadão honorário é a maior honraria do Poder Legislativo Municipal concedido a pessoas que contribuíram efetivamente com o desenvolvimento de Baixa Grande do Ribeiro.

Câmara aprova a concessão de Título de Cidadão Honorário a José Antônio Gorgen (Zezão)
José Antônio Gorgen (Zezão)

Na sessão ordinária desta terça-feira, 19/04, foi aprovado o Projeto de Decreto Legislativo Nº 03/2022, que concede o título de CIDADÃO HONORÁRIO BAIXA-GRANDENSE a José Antônio Gorgen, mais conhecido como Zezão, em reconhecimento por sua atuação no agronegócio como produtor de grãos do cerrado piauiense e por ter prestado bons e relevantes serviços de interesse público na defesa da produtividade, competitividade e sustentabilidade do agronegócio no município de Baixa Grande do Ribeiro, Estado do Piauí. O projeto de autoria do vereador Ananias Borges (PSB), contou com o apoio dos demais pares e foi aprovado por unanimidade de votos.

Biografia:

José Antônio Gorgen, mais conhecido como “Zezão”, é um gaúcho que 1984 depois de viajar seis dias de caminhão, chegou em Balsas – MA e com muito trabalho conquistou o grupo Risa S/A que atua nos segmentos de agricultura como uma das maiores do agro do nordeste do Brasil, atuando nos segmentos de Defensivos, Fertilizante, Agricultura, Logística, Maquinas, Pivôs e Trading, faturando mais de 1 bilhão de reais por ano.

Cronologia Histórica:

1975

José Antônio Gorgen começou trabalhando com seu Pai Severino em 1975 quando tinha apenas 10 anos de idade, nessa época eles moravam em posse São Miguel no interior de Não Me Toque – RS. Com 16 anos ele já era gerente da fazenda, ele plantava, colhia e tomava as decisões.

1984

Em 1984, quando completou 19 anos de idade viu a necessidade de conhecer novos lugares, e ao visitar um amigo que morava em Gurupi que na época pertencia ao Estado de Goiás, mas hoje faz parte do Tocantins, viu que as terras eram muito baratas, e com isso convenceu seu pai e seus irmãos para irem conhecer também, chegando lá sem qualquer planejamento resolveram subir até Balsas no Maranhão. E ali eles ficaram encantados com a região, já que em Gurupi as terras não eram muito apropriadas para o cultivo de grãos, ao contrário de Balsas – MA, que as terras eram planas e excelente para a agricultura.

Venderam 60 hectares no Rio Grande do Sul e em julho de 1984 compraram 400 hectares no Maranhão. No dia 18 de agosto de 1984, Zezão se mudou para o Maranhão com um caminhão e dois tratores em cima, um caminhão “Mercedes” de cabine azul, do qual guarda uma foto sua com muito orgulho até hoje, pois foi sua casa durante o primeiro ano na região. Isso, porque a fazenda só tinha um pequeno galpão, que servia como cozinha, oficina, refeitório e estoques de sementes, então ele preferia dormir no caminhão pois era mais confortável.

A estrutura naquela época era bem complicada, as estradas eram muito ruins e onde para fazer um percurso de 75 km de caminhão até a cidade demorava 7 horas e meia, no mínimo, não havia eletricidade no campo e até nas cidades a energia era muito precária, além disso não havia água na fazenda tinha que buscar no riacho, mas eles estavam tão focados em seu progresso que as dificuldades não impediram de seguir em frente. Zezão retrata que essa época como aquela em que mais trabalhou, com uma jornada diária de 15 a 18 horas de serviço.

1986

Nos primeiros 2 anos eles plantavam soja e arroz, mais em 1986 o preço da soja caiu muito e o único comprador era uma empresa de São Luís do maranhão, que acabou falindo.

1986 – 1992

Entre 1986 – 1992 eles plantavam apenas arroz, nessa época eles compraram caminhões e trabalhavam também com a comercialização da produção de outros produtores comprando arroz de terceiro e revendendo.

Em 1991 o José comprou uma empresa que era dona de uma fazenda no Piauí, que se chamava Companhia Agrícola do Ribeirão S/A, mas achava o nome muito cumprido e abreviou para Ribeirão S/A, mais ainda achava grande, até que um dia voltando de uma viagem, ele juntou RI de Ribeirão e a sigla S/A, então surgiu o nome fantasia RISA S/A. Era dado mais um passo rumo ao desenvolvimento deste segmento na região. Cultivando uma área de 20 mil hectares no município de Baixa Grande do Ribeiro, sul do Piauí, gerando emprego e renda, levando desenvolvimento para sociedade. Outros empreendimentos viriam e em 1998 começando a investir no transporte visando facilitar o escoamento de sua própria produção.

1992

Com a chegada das indústrias em Balsas – MA e a abertura do arco norte para exportação de soja, eles voltaram a cultivar soja a partir de 1992. Como as terras eram baratas, aos poucos foram expandindo conforme as oportunidades.

A partir daí foi só crescendo e reinvestindo na própria empresa, com a compra de novas terras e arrendando outras. Segundo ele todas as empresas que foram criadas depois, foram por necessidade de itens que ainda não tinham nesta região.

2000

No ano 2000 foi dado início ao projeto de Importação e Comercialização de Fertilizantes. Onde em 2001 foi adquirida a primeira e única Misturadora de Adubos, indústria instalada na cidade de Balsas – MA, produto esse que era muito difícil de ser comprado e por isso montou a unidade de mistura para atender as suas propriedades, em 2002 começou a comercializar para seus vizinhos e outros produtores da região que precisava, esse foi um passo fundamental para uma caminhada de sucesso.

2010

Em 2010, a Risa comprou a empresa rural no ramo de defensivos agrícolas, tendo duas unidades, uma em Balsas - MA e outra em Uruçuí – PI. O sul do Maranhão é formado por 14 cidades e nessa região havia uma grande necessidade dos produtores de comprar maquinários agrícolas, Zezão, mais uma vez, viu a oportunidade surgindo e em 2011 abriu uma Concessionaria Case IH em Balsas – MA, dois anos depois abriu uma Filial em Uruçuí – PI.

2013

Em 2013 depois de assistir a um documentário sobre o transporte de minério de ferro no Canadá, ele teve uma grande ideia e desenvolveu um tipo de caminhão para transportar os grãos da sua fazenda, era um tritrem com três carretas basculantes que substitui o rodotrem. A fabricação desse modelo, tornava muito mais fácil e rápido a descarga dos grãos. Hoje a Risa possui uma frota própria de mais de 400 veículos, entre caminhões, rodotrem, e tritrem. Sendo a única empresa do brasil com frota de tritrem.

Ao todo são 14 filiais, com 1.500 colaboradores e um faturamento de acima de 1 bilhão de reais por ano.

José Antônio Gorgen (Zezão) está hoje entre os mais influentes do Agro, contribuindo com o desenvolvimento do setor, para tornar o Brasil um exemplo global na produção de alimentos. Sua dedicação ao desenvolvimento do agro e capacidade de liderança é exemplar.

Desbravou os cerrados do MA e PI, com foco, garra e determinação, aliado aos esforços de um time de profissionais, construiu o complexo RISA S/A que em 2022 completa 40 anos de desenvolvimento no agronegócio brasileiro.

A entrega do título ora concedido pelos parlamentares baixa-grandense se fará em sessão solene realizada pela Câmara de Vereadores às 17h00min do dia 26 de abril de 2022, por ocasião das comemorações do 30º Aniversário de Emancipação Política de Baixa Grande do Ribeiro.